São Paulo, 23 de Novembro de 2017   
 
CIÊNCIA >> FUNDAMENTOS



ATIVIDADE ASSISTIDA POR ANIMAIS

 Entende-se por Atividade Assistida por Animais as situações de contato entre pessoas e animais que cujo objetivo é a recreação e entretenimento. Geralmente, ocorrem através de visitas com duração de uma hora ou uma hora e meia. Podem acontecer de forma esporádica a grupos diferentes de pessoas. Esse tipo de trabalho pode ser realizado tanto por profissionais treinados como por donos de animais. Apesar desse tipo de atividade permitir que uma pessoa atue sem ter uma formação específica, faz-se necessário que aquele que irá realizar o trabalho tenha os conhecimentos básicos e necessários para impedir que algo errado aconteça. O animal que participa deve, também, estar preparado, passando por avaliação de um especialista em comportamento animal e que tenha conhecimento sobre a formação de um animal para a Atividade Assistida.

EDUCAÇÃO E TERAPIA ASSISTIDA POR ANIMAIS

A Educação e Terapia Assistida por Animais envolve a integração do animal às técnicas exercidas pelos profissionais das áreas da educação e saúde humana, isto é, o animal atua como colaborador durante todo o processo de diagnóstico e tratamento quer seja no âmbito, educacional, cognitivo, físico, social ou emocional. Nesse tipo de trabalho, o profissional tem objetivos claros e dirigidos, critérios estabelecidos e todo processo de tratamento é planejado, documentado, tabulado, medido e avaliado. Trata-se aqui de profissionais como pedagogos, psicopedagogos, médicos, fisioterapeutas, psicólogos, psiquiatras, que utilizam o animal como instrumento facilitador para suas intervenções no trabalho educacional ou terapêutico formal. Para a efetividade dessa técnica, é preciso que em primeiro lugar o profissional domine sua formação e especialização, sendo competente em sua área, para que depois ao estudar e aprender sobre a Atividade e Terapia Assistida por Animais saiba como proceder para unir uma área a outra, de forma a promover a saúde física, social, emocional e/ou cognitiva. Da mesma forma que se espera que um profissional da área da saúde e educação tenha as competências e habilidades necessárias para realizar seu trabalho, minimizando a existência de erros, é imprescindível que o animal que atua como co-educador ou de terapia , além de estar em boa saúde, atestada por um veterinário, também, tenha qualidades e habilidades exigidas para esse serviço. O animal previamente selecionado deve ser preparado e constantemente avaliado durante todo período pelo qual trabalhará, para que se faça as intervenções necessárias em seu comportamento, garantindo o próprio bem-estar do animal e o sucesso do trabalho a ser realizado junto ao profissional que o acompanha.
Desenvolvido por Marcos Dias de Almeida (Diretor de TI IBETAA) - 2015 - (marcos@ibetaa.org.br ou prog.marcos@gmail.com)